Imprimir esta página
Sexta, 29 Março 2019 20:25

Rota do café de Luisburgo é testada por alunos de curso de Agentes de Turismo

No dia 27 de março, os alunos do Curso Agente de Turismo Rural, realizado pelo SENAR Minas e  Sindicato Rural de Manhuaçu, promoveram a viagem teste de lançamento da primeira rota turística comercializável do circuito, intitulada “Memórias de Fazendas: o Velho Chico e a Beija-Flor”, no âmbito do município de Luisbugo, Minas Gerais, base territorial do Sindicato Rural de Manhuaçu, com a supervisão da professora Fernanda Correa da Silva.

            Participaram do evento dez alunos e seis convidados, entre eles o prefeito de Luisburgo José Carlos Pereira, a primeira-dama Isabel Rodrigues Pereira, Antônio Teodoro Dutra, presidente do Sindicato Rural de Manhuaçu, Isaura Paixão, coordenadora do SENAR em Manhuaçu e a assessora Maria Aparecida Sales Franco, da empresa Germinar. A excursão partiu às 8:00 horas da Praça Dr. César Leite, no Centro de Manhuaçu, em ônibus da empresa Carlos Tur, especialmente fretado para o evento, para um passeio cheio de boas recordações num trajeto deslumbrante entre montanhas, riachos cristalinos e fazendas de café, descortinando novos caminhos para o desenvolvimento do agroturismo na região.

            Sitio Velho Chico

O Sitio Velho Chico está situada no Córrego da Gameleira, município de Luisburgo, distante 06 quilômetros do centro da cidade. O nome Velho Chico é uma homenagem ao avô dos proprietários, Senhor Francisco, que era figura muito querida na comunidade. Localizada estrategicamente num platô com altitude de 820 m, possui uma visão de paisagem deslumbrante onde se avistam as belíssimas montanhas que compõem a cadeia de picos de granito conhecida como Pontões, que circundam as lavouras de café de exuberante beleza. Adepta da agricultura agroecológica, o sítio Velho Chico, além do café tradicional, produz ainda cafés especiais certificados, frutas, fubá, ovos e produtos caseiros.

            Os anfitriões Hobermayer e Aline Amaral, proprietários do Sitio Velho Chico, receberam o grupo com boas-vindas e um saboroso café da manhã, com degustação de cafés especiais produzidos na fazenda e saborosos produtos locais preparados por Aline. Hobermayer fez uma breve explicação de como são produzidos os cafés especiais e os cuidados exigidos pela agência certificadora. Após o café da manhã, o grupo foi conduzido para um tour pelos cafezais onde recebeu mais informações sobre os procedimentos para produção e colheita dos grãos, conhecendo assim o processo completo da muda até à xícara.

            O passeio pelo Sitio Velho Chico encerrou-se com a visitação aos locais pitorescos da propriedade, como o lago, nascente de água protegida pelo programa Olhos D´Água, produção de ovos caipiras, estufa e instalações de preparo, secagem, limpeza e envase dos grãos.

            Fazenda Beija-Flor

            Após a visita à Fazenda Velho Chico, o grupo foi conduzido para a segunda parte da excursão:  visita à Fazenda Beija-Flor, situada no Córrego Santa Rosa, também no município de Luisburgo.  A Fazenda Beija-Flor é tradicional em diversificação de culturas, visando a complementação de renda. Além do café tradicional, a propriedade produz cana-de-açúcar para produção de aguardente, açúcar mascavo, melado e rapadura; mandioca para fabricação de farinha e polvilho e suinocultura. Industrializa e comercializa os seguintes produtos: aguardente, rapadura, melado, açúcar mascavo, farinha de mandioca, polvilho e produz os tradicionais biscoitos em forno à lenha. A propriedade possui ainda quintal de frutas diversas e uma cachoeira para banhos refrescantes de verão.  Desponta como um dos expoentes promissores para o desenvolvimento do turismo rural no município de Luisburgo.

            O grupo foi calorosamente recebido pelos familiares e pelos anfitriões Maria Noronha e Osmair Noronha, proprietários da Fazenda Beija-Flor.  Logo de início, tomaram conhecimento da origem da denominação Beija-Flor e sua emocionante história. Após as apresentações, os visitantes ouviram dos anfitriões o relato da história da propriedade. Em seguida, foi servido um almoço com comida mineira e pratos típicos da região.  Depois do almoço, os turistas foram conduzidos ao setor de produtos da cana-de-açúcar onde puderam presenciar o processo de moagem da cana e produção de rapadura, melado e açúcar mascavo. Fotografaram todas as etapas e degustaram o delicioso “puxa-puxa”. O grupo foi conduzido a seguir ao pomar onde saborearam jabuticabas e goiabas colhidos diretamente dos pés. O tour para conhecimento dos cafezais e do canavial foi feito a bordo de carreta acoplada a um trator agrícola multiuso.

Em seguida, foram assistir todas as etapas da produção de farinha de mandioca, polvilho e do tradicional “biscoito maluco”.  Vivenciaram e tiraram fotos de todo o processo, inclusive da acomodação da massa em folhas de bananeira, da limpeza do forno com vassouras de alecrim e do cozimento do biscoito.

 

            O anfitrião Osmair Noronha, sempre amável e solícito, fez questão de esclarecer aos visitantes respondendo todas as perguntas quanto ao funcionamento de uma fazenda com múltiplas atividades econômicas como a Beija-Flor. A última atividade do grupo foi uma visita à cachoeira existente próxima à sede da fazenda e, no percurso, tiveram a oportunidade de conhecer o setor de suinocultura e as dependências onde está situada a fábrica da tradicional cachaça Beija-Flor.

            À tarde, a excursão foi finalizada com o retorno ao ponto de partida, na Praça Dr. César Leite, em Manhuaçu.