A- A A+

Telefone: (33) 3378 7000 | (33) 3378 7080 | (33) 98838 7227 | E-mail: contato@luisburgo.mg.gov.br

   

Segunda, 29 Outubro 2018 16:41

Câncer: eles venceram a doença e contam como conseguiram

O Outubro Rosa, período de intensificação de campanhas que tem as mulheres como público alvo, e Novembro Azul, voltado para o homens, se tornaram datas marcantes para alertar sobre a necessidade de fazer exames regulares, bem como propagar a necessidade deles.

Muita gente que já enfrentou o tratamento de um câncer sabe das dificuldades e limitações que ele impõe.  O jornal Tribuna do Leste ouviu os testemunhos de dois moradores do município de Luisburgo que foram acometidos pela doença e que conseguiram sucesso no tratamento, especialmente porque perceberam o problema bem no início. Os relatos a seguir são otimistas e animadores, especialmente para quem se vê diante dessa doença e convive com os medos e incertezas que ela traz. Fizemos um questionário com perguntas que são mais frequentes na vida desses dois guerreiros, que com muita coragem venceram o tão temido câncer.

Nossa primeira conversa foi com o Agricultor Joabes Portilho de 58 anos. Ele é morador da cidade de Luisburgo e há 7 anos está curado de um câncer na próstata. 

TL – Como você descobriu que tinha câncer?

Joabes – Eu senti um pouco de dor de cabeça e procurei a unidade de saúde aqui de Luisburgo, o médico do município me pediu alguns exames e eles deram alterações. Fui encaminhado para um especialista, que com exames mais aprofundados, constatou um início de um tumor na próstata.

TL -  Qual foi sua primeira reação após a descoberta?

Joabes – Na hora a gente fica sem chão. Nesse momento de descoberta a gente só pensa na força dessa doença e às vezes  se esquece da força de Deus. Retornei de Manhuaçu para Luisburgo muito abalado, minha esposa chorando muito, mas logo que chegamos o apoio da família começou a fazer a diferença. Eles faziam questão de me motivar a todo o momento e amenizar aquele medo que eu sentia com palavras de otimismo e fé.

TL -  Como foi o início do tratamento?

Joabes – O médico de Manhuaçu me encaminhou para fazer o tratamento no Hospital do Câncer em Muriaé. Chegando lá fui muito bem atendido, realizamos novos exames, e a cirurgia foi marcada imediatamente. Dias depois eu passei pelo procedimento e aguardei 60 dias para fazer novos exames. Após esse período fiz a consulta de retorno e fui informado pelo meu médico de que não precisaria passar por quimioterapia nem radioterapia, graças a Deus eu estava curado. Importante dizer que nesse período de espera pelo resultado final, me apeguei muito com Deus, fortaleci minha fé na igreja e isso foi fundamental para minha recuperação de saúde e autoestima.

TL -  Como você está hoje?

Joabes – Sete anos após me curar do câncer eu estou ótimo. Trabalho, viajo, leva uma vida normal e cheia de atividades no meu dia a dia. Me sinto até mais disposto agora, porque sei que se venci um câncer, dificilmente alguma dificuldade que a vida impõe vai me frear ou me deixar desanimado. Foi difícil enfrentar a doença, mas saí mais fortalecido dela e cheio de vontade de viver.

TL -  Que conselho daria para quem está passando pelo tratamento de câncer?

Joabes – Jamais se entregue à doença. Firme o pensamento em Deus, acredite na importância do tratamento e siga tudo direitinho que você vai conseguir. Eu também tive medo e cheguei a pensar no pior, mas não deixei isso me tirar a vontade de viver. Tudo conspira a favor daqueles que amam a Deus.

Silvia Pereira, de 30 anos, está curada de um câncer na Mama há pouco menos de dois anos. Cheia de vida e com um enorme sorriso no rosto, a cabeleireira recebeu nossa reportagem no seu salão de beleza, no centro de Luisburgo. Muito vaidosa e muito determinada a usar sua experiência para ajudar outras pessoas, Silvia se emocionou muito durante a entrevista, mas soube descrever com precisão tudo que enfrentou.

TL – Como você descobriu que tinha câncer?

Silvia – Estava tomando um banho e fiz o autoexame, quando senti um carocinho na minha mama. Achei estranho porque não provocava nenhuma dor e aquilo até então não me incomodava. Conversei com uma amiga e ela me motivou a fazer os exames. Num primeiro momento procurei um médico em Manhuaçu que me passou uma bateria de exames, que não apontaram nada, a não ser um pequeno cisto, sem maiores problemas. O curioso é que diante desse diagnóstico inicial eu fiquei inquieta e diante da minha fé Deus me mostrou que eu precisava fazer novos exames. Fui então à Muriaé, na Fundação Cristiano Varela, e com novos exames feitos lá, descobrir que esse pequeno nódulo era na verdade um tumor agressivo.

TL -  Qual foi sua primeira reação após a descoberta?

Silvia – Foi muito difícil receber o diagnóstico, mas naquele momento eu decidi que iria à luta. Sabia que Deus estava comigo e que se foi para eu ter aquela doença, que eu seria forte para me livrar dela.

TL -  Como foi o início do tratamento?

Silvia – Já sob os cuidados de um médico especialista em Muriaé, ficou decidido que eu faria uma cirurgia para retirar parte desse pequeno nódulo e em seguida realizar uma biópsia. Esse procedimento aconteceu o resultado do exame apontou para um câncer maligno e muito agressivo, mas que felizmente descoberto bem cedo. A partir daí fizemos uma nova cirurgia para retirar totalmente o nódulo para evitar que ele contaminasse novas células.  Graças a aconteceu e com a retirada total do nódulo e a médica me aconselhou a fazer a quimioterapia para eliminar de vez o problema. Apesar de alguns riscos, por conta de imunidade que cai muito, enfrentei o tratamento e superei o problema.

TL -  Como você está hoje?

Silvia – Estou ótima e convicta que me torneio uma pessoa bem melhor depois de passar por isso tudo. Ninguém vai me dizer que não sou capaz de fazer aquilo que acredito. Também me sinto muito mais amada pela minha família e pelos meus amigos que me apoiaram nessa batalha. Me sinto guerreira de verdade!

TL -  Que conselho daria para quem está passando pelo tratamento de câncer?

Silvia – Força, foco e fé são palavras que te levam ao otimismo e a certeza que você vai vencer, assim como eu venci. Nunca se esqueça de que Deus está contigo e você é guerreira e vai superar essa doença. Não desanima, porque eu consegui e espero que você consiga, em nome de Jesus.

Sr. Joabes Portilho fez todo os procedimentos por meio do SUS e garante que desde o início do tratamento oferecido pela Secretaria de Saúde de Luisburgo, quanto o atendimento na Fundação Cristiano Varela em Muriaé, foram muito humanizados e fizeram toda a diferença. A jovem Silvia Pereira possui plano de saúde e também teve todo o suporte necessário por meio da sua operadora, mas também contou com auxílio do município no transporte e logística. Ela também garante que foi muito bem tratada em todos os sentidos.